Show simple item record

dc.contributor.advisor Monserrat, José María
dc.contributor.author Martins, Átila Clivea da Silva
dc.date.accessioned 2012-09-18T03:53:39Z
dc.date.available 2012-09-18T03:53:39Z
dc.date.issued 2011
dc.identifier.citation MARTINS, Átila Clivea da Silva. Potencial antioxidante do ácido lipóico na ração do camarão Litopenaeus vannamei (Boone, 1931). 2011. 62f. Dissertação (Mestrado em Aqüicultura) - Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2011. pt_BR
dc.identifier.uri http://repositorio.furg.br/handle/1/2528
dc.description Dissertação(mestrado)- Universidade Federal do Rio Grande, Programa de Pós-Graduação em Aqüicultura, Instituto de Oceanografia, 2011. pt_BR
dc.description.abstract Os fatores abióticos são um dos principais problemas na aquicultura, pois a alteração destes pode resultar em baixo nível de crescimento ou induzir efeitos deletérios que podem eventualmente levar a morte dos organismos. Neste trabalho, fez-se uma simulação da variação de oxigênio dissolvido com desligamento da aeração até que os níveis nos tanques atingissem 3 mg/L (condição de hipóxia) quando então a aeração era religada. Com base nestas condições foi avaliado o aumento na competência antioxidante do camarão Litopenaeus vannamei (Boone, 1931) como resultado da ação do ácido lipóico (AL) aplicado a ração, nas doses de 35, 70 e 140 mg de AL para cada 1 kg de ração, quando exposto a uma situação de hipóxia/re-oxigenação. Foram utilizados camarões machos e fêmeas com peso inicial de 2,07 g (+ 0,24). A atividade da enzima glutationa-S-transferase (GST) aumentou na dose de 70 mg de AL/kg nas brânquias, no entanto, no hepatopâncreas a resposta foi bifásica, as vezes aumentando e as vezes diminuindo. As análises dos níveis de peroxidação lipídica (TBARS) em brânquias constatou que o AL induziu um efeito fortemente antioxidante na dose de 70 mg/kg após 4 h de re-oxigenação. No hepatopâncreas o AL reduziu os níveis de TBARS após de 0,5 h de re-oxigenação na dose de 35 mg AL/kg, e logo após 4 h apresentou em efeito pró-oxidante. Na avaliação da capacidade antioxidante total contra peroxi-radicais foi constatado que em normóxia as doses de 70 e 140 mg AL/kg induziram um efeito antioxidante nas brânquias do camarão. No hepatopâncreas, em normóxia, a dose de 70 mg AL/kg promoveu um efeito antioxidante, enquanto que no organismos submetidos a hipóxia/re-oxigenação foi constatado que a dose de 140 mg AL/kg promoveu um aumento da capacidade antioxidante. Ainda, nas duas doses mais altas de AL (70 e 140 mg/kg) foi verificado um aumento de peso dos camarões. Sugere-se que a dose mais indicada seja a de 70 mg de AL para 1 kg de ração, por apresentar melhores resultados nas análises bioquímicas e por induzir aumento de peso ao camarão os quais atingiram peso final de 7,94 g (+ 0,15). pt_BR
dc.description.abstract The abiotic factors are a major problem in aquaculture, because changing them can result in low growth or induce deleterious effects that may eventually lead to death of organisms. In this work, it was a simulation of the variation of dissolved oxygen by turning off the aeration tanks in which the levels reached 3 mg/L (hypoxic condition) when the aeration was then restarted. Under these conditions we evaluated the increase in antioxidant power of the shrimp Litopenaeus vannamei (Boone 1931) as a result of action of lipoic acid (LA) applied to food at doses of 35, 70 and 140 mg of LA for each 1 kg ration when exposed to a hypoxia/re-oxygenation. We used juvenile male and female shrimps with initial weight of 2.07 g (+ 0.24). The activity of glutathione-S-transferase (GST) increased in a dose of 70 mg AL/kg in the gills; however, in the hepatopancreas response was biphasic, sometimes increasing and sometimes decreasing. The analysis of the levels of lipid peroxidation (TBARS) in gills showed that LA induced a strong antioxidant effect at a dose of 70 mg/kg after 4 h of re-oxygenation. In the AL hepatopancreas decreased levels of TBARS after 0.5 h re-oxygenation in a dose of 35 mg AL/kg, and after 4 hours resulted in pro-oxidant effect. In assessing the total antioxidant capacity against peroxy-radicals was found that in normoxia the doses of 70 and 140 mg AL/kg induced an antioxidant effect in the gills of the shrimp. In the hepatopancreas, in normoxia, the dose of 70 mg AL/kg provided an antioxidant effect, whereas in organisms subjected to hypoxia/re-oxygenation was found that the dose of 140 mg AL/kg caused an increase in antioxidant capacity. Still, the two higher doses of LA (70 and 140 mg/kg) there was an increase in weight of shrimp. It is suggested that the optimal dose is 70 mg of the AL to 1 kg, by offering better results in biochemical analysis and to induce weight gain to shrimp which reached the final weight of 7.94 g (+ 0, 15). pt_BR
dc.language.iso por pt_BR
dc.rights open access pt_BR
dc.subject Litopenaeus vannamei pt_BR
dc.subject Ácido lipóico pt_BR
dc.subject Hipóxia/re-oxigenação pt_BR
dc.subject Glutationa-S-transferase pt_BR
dc.subject Peroxidação lipídica pt_BR
dc.subject Capacidade antioxidante pt_BR
dc.subject Lipoic acid pt_BR
dc.subject Hypoxia/re-oxygenation pt_BR
dc.subject Glutathione S-transferase pt_BR
dc.subject Lipid peroxidation pt_BR
dc.subject Antioxidant capacity pt_BR
dc.title Potencial antioxidante do ácido lipóico na ração do camarão Litopenaeus vannamei (Boone, 1931) pt_BR
dc.type masterThesis pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics