Show simple item record

dc.contributor.advisor Schwantes, Lavínia
dc.contributor.author Silva, Peterson Fernando Kepps da
dc.date.accessioned 2019-11-25T17:55:51Z
dc.date.available 2019-11-25T17:55:51Z
dc.date.issued 2017
dc.identifier.citation SILVA, Peterson Fernando Kepps da. Radiações Solares: A abordagem do tema na educação básica. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) – Instituto de Educação, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande. pt_BR
dc.identifier.uri http://repositorio.furg.br/handle/1/8076
dc.description.abstract As radiações solares estão presentes na vida das pessoas. Somos e estamos expostos diariamente às radiações, seja no ambiente natural, isto é, pela emissão dos raios ultravioleta (UV) através do sol ou em ambiente artificial, com a radiação sendo emitida por lâmpadas fluorescentes ou incandescentes. Os raios UVA e UVB fazem parte das radiações solares que chegam até nós (superfície terrestre), possuem ação cumulativa sobre a pele/organismo vivo e são capazes de provocar processos químicos e morfológicos. Moléculas presentes na pele podem absorver a radiação ultravioleta e esta absorção acarreta alterações. O DNA é uma das principais moléculas que absorve a radiação UV que, ao sofrer mutações, pode resultar em transformações malignas da célula. Os raios UV causam diferentes efeitos à vida humana como: síntese de vitamina D, sinais/pintas/manchas, rugas e envelhecimento precoce, foto conjuntivites, cataratas, processos inflamatórios na pele e o câncer. O câncer tornou-se problema mundial, um problema de saúde pública que, na última década, aumentou consideravelmente sua incidência. O câncer da pele é o de maior frequência no Brasil, bem como no município do Rio Grande –RS, cidade na qual esta pesquisa foi desenvolvida,que figura entre as regiões do país com maior número de casos da doença. Partindo destas considerações, esta dissertação teve como objetivo analisar a abordagem da temática das radiações solares em escolas da educação básica do município do Rio Grande –RS. Travamos uma discussão sobre o tema a partir de referenciais como documentos oficiais dirigidos ao campo educacional, o enfoque ciência, tecnologia e sociedade (CTS) na educação pelo viés pós-crítico, e questões curriculares. Para a produção de dados, realizamos:1) pesquisa bibliométrica na biblioteca eletrônica SciELO, portal de periódicos da CAPES e em 26 repositórios institucionais dos trabalhos que envolvem as radiações solares e sua articulação com o ensino; 2) investigamos a temática no currículo de seis escolas públicas do município do Rio Grande –RS; 3) entrevistamos professores que lecionam nas disciplinas de Ciências (Ensino Fundamental) e Biologia (Ensino Médio) da rede básica e pública de ensino do referido município.Os entrevistados foram escolhidos a partir de registros do Grupo de Estudos em Estratégias de Educação para a Promoção da Saúde (GEEPS), vinculado à Universidade Federal do Rio Grande (FURG). As entrevistas foram gravadas e posteriormente transcritas. A metodologia de análise dos dados deste trabalho foi sendo construída ao longo do processo de pesquisa. Verificamos que existe uma baixa produção de trabalhos articulando radiações solares e ensino/educação; que a temática não está presente no currículo escolar e que o documento é pautado, principalmente, em conteúdos e não como um currículo, como os supervisores escolares o entenderam. Em relação às entrevistas, percebemos que dos oito professores entrevistados metade discute as radiações solares no ensino de Ciências e Biologia e a outra metade não. Sobre os motivos que levaram os professores a tratar ou não da temática em suas aulas, pairamos entre o interesse pessoal e a lista de conteúdos programáticos como elementos que sinalizam a tomada de decisão dos professores sobre o conteúdo. Como resultado, defendemos a ideia da inserção da temática das radiações solares na educação básica, principalmente em disciplinas como Biologia e Física. pt_BR
dc.description.abstract The solar radiation is present in our lives daily; since, it can happen in two different ways. First way, the environment that through the sun rays emits ultraviolet rays (UV). Second way, the artificial environment that emits radiation by fluorescent lamps and/or incandescent lamps. Thus, UVA and UVB rays are part of a range of rays inside the solar radiation. These rays arrive at earth's surface, and by accumulation process they could provoke chemical and morphological processes. Molecules present in our skin can absorb ultraviolet radiation that provokes DNA modifications. These DNA modifications can generate mutation cells with malign modifications. The UV rays provoke different effects to human life, as an example: synthesis of vitamin D, signs and spots, wrinkles and premature aging, conjunctivitis, cataracts, inflammatory processes in the skin and cancer. The cancer became a global and a public health problem; since, in the last decade it has increased its incidence. The skin cancer is the cancer with more frequency in Brazil. The same situation repeats in Rio Grande –RS, the city where this research was developed. Rio Grande is one of the cities that show a higher number from this disease. For this reason, this dissertation had as a goal realized the analysis about how solar radiation was approached inside Rio Grande schools’. In this way, our discussion approaches three key points: official documents designed for education; the studies of science, technology and society (CTS) in education –through the postmodern perspective; and the curriculum. The data was collected by: 1) bibliographic research at ScIELO digital library, CAPES Scientific Journals, and 26 institutional repositories; 2) investigation about how the solar radiation appears in the curriculum of six publics schools in Rio Grande –RS; 3) interviews with teachers who teach Science (elementary school) and Biology (high school) in the public schools in Rio Grande. The interviewed had been choosing according to the register at Grupo de Estudos em Estratégias de Educação para a Promoção da Saúde (GEEPS), group that has links with the Universidade Federal do Rio Grande (FURG -Federal University of Rio Grande). The interviews have been recorded and transcribed. The methodology of analysis was built during the process of this research. As a result, we identified a low production that articulates solar radiation and education; also, this topic was not included at the curriculum. Moreover, we observed that this curriculum is a document guided by program contents, different from the curriculum defined by the school supervisors. Additionally, the interviews showed that from the eight teachers interviewed, four of them discuss with their students about solar radiation during the classes of Biology or Science. When we analyzed the reasons that motivated these teachers, we observed that two facts influence them. One is their personal interest about this topic. Second are the program contents from the schools. In this way, these both elements had influenced the teachers’ decision. In conclusion, we defend the idea of inclusion of this topic into the public education, mainly in the Biology and Physics classes. pt_BR
dc.language.iso por pt_BR
dc.rights open access pt_BR
dc.subject Radiações solares pt_BR
dc.subject Ensino de Ciências pt_BR
dc.subject Ensino de Biologia pt_BR
dc.subject Ciência, Tecnologia e Sociedade pt_BR
dc.subject Currículo pt_BR
dc.subject Solar radiation pt_BR
dc.subject Science Education pt_BR
dc.subject Biology Education pt_BR
dc.subject Science pt_BR
dc.subject Technology and Society pt_BR
dc.subject Curriculum pt_BR
dc.title Radiações Solares: A abordagem do tema na educação básica pt_BR
dc.type masterThesis pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics