Show simple item record

dc.contributor.advisor Yunes, Maria Angela Mattar
dc.contributor.author Chaves, Priscila Freitas
dc.date.accessioned 2012-12-06T19:11:49Z
dc.date.available 2012-12-06T19:11:49Z
dc.date.issued 2011
dc.identifier.citation CHAVES, Priscila Freitas. Famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos na perspectiva da Educação Ambiental: condições de risco e processo de resiliência. 2011. 100f. Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2011. pt_BR
dc.identifier.uri http://repositorio.furg.br/handle/1/2965
dc.description Dissertação(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental, Instituto de Educação, 2011. pt_BR
dc.description.abstract No Brasil há um grande contingente de pessoas desempregadas o que fortalece o mercado do trabalho informal. Muitas famílias fazem da coleta de resíduos sólidos e posterior comercialização a principal fonte de sobrevivência financeira. Entretanto, as precárias condições que envolvem esta atividade podem resultar em risco e exclusão social para estes grupos familiares. Diante disso, a presente pesquisa teve por objetivo investigar os possíveis riscos e indicadores de proteção que podem resultar em processos de resiliência familiar de pessoas que vivem sob estas condições. Foram entrevistadas três famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos do município de Rio Grande/RS, Brasil. A metodologia que orientou este estudo foi a “Inserção Ecológica”, associada a outros procedimentos como: a observação naturalística, o diário de campo e a entrevista semi-estruturada, que foi utilizada a partir dos princípios básicos da Entrevista reflexiva. Após a coleta de dados, as entrevistas foram transcritas na íntegra e analisadas seguindo a grounded-theory. Torna-se importante destacar que as três famílias participantes deste estudo são lideradas por mulheres. A partir dos relatos das entrevistadas e da inserção no ambiente natural das famílias se pode constatar processos de resiliência, pois diante das situações de crise, os grupos familiares buscam diferentes estratégias para superá-las. Os resultados evidenciam o papel de proteção de alguns contextos ecológicos, como da família ampliada, dos vizinhos, dos amigos, da escola, dos serviços de saúde e social, e das comunidades religiosas. Essa trama social se constitui em um indicador de fundamental importância na promoção do desenvolvimento destes grupos familiares. Os relatos demonstram que as dificuldades das líderes das famílias entrevistadas de inserção no mercado de trabalho, estão relacionadas a fatores como a baixa escolaridade, condição social (falta de oportunidades e de apoio), e limitações na disponibilidade de tempo. Esta limitação se institui devido aos vários papéis que são atribuídos às responsáveis por estes contextos familiares, como o cuidado e proteção dos membros que integram o grupo familiar, a realização das tarefas domésticas e a busca pelo sustento da família, o que sobrecarrega a figura feminina. Diante de tais responsabilidades, essas mulheres encontraram nas características da profissão de catadora uma alternativa para conseguir garantir sua sobrevida junto ao grupo familiar, pois conseguem trabalhar para obter o sustento e cuidar de suas famílias. Em duas das famílias estudadas, as crianças acompanham e ajudam as responsáveis na realização do trabalho. Além disso, elas denotam consciência das relações de exploração relacionadas ao processo de reciclagem. E apesar dos riscos pessoais e sociais da profissão, as mulheres percebem positivamente sua trajetória pessoal. Esta investigação demonstra a necessidade de formulação de novas políticas públicas que possibilitem uma melhor qualidade de vida para essas trabalhadoras informais; de promoção de ações para o fortalecimento dos participantes da pesquisa na busca pelo exercício da cidadania; e da conscientização dos problemas socioambientais. Nesta perspectiva, a Educação Ambiental é um campo de conhecimentos que pode subsidiar políticas públicas que valorizem os direitos e auxiliem a promover qualidade de vida digna para estas populações. pt_BR
dc.description.abstract There is a large number of unemployed people in Brazil which strengthens the informal labor market. Many families make the solid waste collection and subsequent commercialization as the main source of their financial survival. However, the poor conditions surrounding this activity can result in risk and social exclusion for these family groups. Thus, the present study aimed to investigate the possible risks factors and protection indicators that can result in processes of family resilience of people living under these conditions. We interviewed three families of collectors of solid waste in the city of Rio Grande / RS, Brazil. The methodology that guided this study was the "Ecological Engagement" associated with other procedures such as naturalistic observation, field diary and semi-structured interview, which was used from the basic principles of reflexive interview. After collecting data, interviews were transcribed and analyzed following the grounded-theory. It is important to emphasize that the three families who took part of this study were headed by women. From the reports of the respondents and the observation of families in their natural environment it can be seen that in the face of the crisis situations, the family groups seek different strategies to overcome them. The results highlighted the protective role of some ecological contexts, such as extended family, neighbors, friends, school, health services and social and religious communities. This social tissue constitutes an indicator of fundamental importance in promoting the development of these family groups. The reports showed that the difficulties of the leaders of the interviewed families for inclusion in the labor market are related to factors such as poor education, social status (lack of opportunities and support), and limitations on the availability of time. This limitation is due to the various roles that are assigned to account for these family contexts, such as care and protection of members of the family group, the household chores and the pursuit of household, which increases the load of the female figure´s tasks. Given these responsibilities, these women found in the characteristics of the profession of collectors, an alternative to be able to guarantee the family group survival, a way to make a living and time to take care of their families. In two of the families, children accompany and assist the mothers responsible in carrying out the work. Moreover, they denote awareness of exploitative relationships related to the recycling process. And despite the personal and social risks of the profession, women perceive a positive personal background. This research demonstrates the need to formulate new public policies that allow a better quality of life for these informal workers, promoting actions for the empowerment of the participants in finding the exercise of citizenship and awareness of social environmental problems. In this perspective, Environmental Education is a field of knowledge that can support public policies that enhance the rights and help to promote decent quality of life for these populations. pt_BR
dc.language.iso por pt_BR
dc.rights open access pt_BR
dc.subject Famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos pt_BR
dc.subject Educação Ambiental pt_BR
dc.subject Resiliência familiar pt_BR
dc.subject Families of collectors of solid waste pt_BR
dc.subject Environmental Education pt_BR
dc.subject Family resilience pt_BR
dc.title Famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos na perspectiva da Educação Ambiental: condições de risco e processo de resiliência pt_BR
dc.type masterThesis pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics